quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Emoção é a chave

Eu sempre falo para os meus alunos que jogos eletrônicos são softwares que não têm requisitos funcionais, que não tem por objetivo fornecer alguma função ou utilidade, mas sim causar emoções. Independentemente de quão de ponta é a tecnologia utilizada em sua produção, o que conta mesmo no final para que um jogo seja realmente divertido e engajante é a emoção que ele produz.

De fato, qualquer outra mídia ou entretenimento é também assim. Nós vamos ao cinema e ao teatro, ou paramos para ler um livro porque esses produtos nos seduzem. Há muitos aspectos de atração envolvidos, entre eles a fantasia e a narrativa, o desafio, o prazer sensorial, etc. Mas há também aspectos mais subjetivos, relacionados às expressões básicas dos seres humanos, tais como o riso e o choro. Não é a toa que a importância da comédia e da tragédia é exaltada desde tempos imemoriais.


O fato é que bons jogos não precisam de muito para serem espetaculares. Um exemplo recente é o jogo de terror chamado Slender. Ele se baseia na lenda urbana do "homen esguio" (slender man), um mito americano similar aos que temos por aqui no Brasil, como o homem do saco ou a loira do banheiro. Se por um lado a lenda do homem esgui assusta crianças, o jogo tem potencial de assustar também aos adultos. É muito interessante, e eu juro que vou separar um tempo mais pra frente pra jogar uma ou duas partidas. :)

Eu assisti apenas aos trailers do jogo - uma produção independente de grandes publicadoras. Basicamente, o jogador precisa explorar áreas sinistras e escuras (como florestas com caminhões abandonados e labirintos parecendo alas de hospitais mal-assombrados) utilizando apenas uma lanterna fraca, procurar e seguir pistas em papeis deixados nas árvores e pedras, e evitar o máximo que puder olhar nos olhos da tal criatura caso a encontre. O suspense é criado pela pouca iluminação, pela sensação constante de perigo e, principalmente, pela música tensa e tenebrosa.

É isso mesmo: o jogo dá medo apenas com esses três elementos, que já estamos cansados de ver em filmes e séries de TV (e até em outros jogos, como Resident Evil e por ai vai). Por que, ainda assim, faz tanto sucesso? Porque o medo é divertido! Porque é muito melhor experimentá-lo em frente do seu computador e utilizando os seus pijamas, do que em uma situação real. Porque a sensação de alívio que se produz após o "encontro" e a observação de que "era apenas um jogo", é satisfatória. Porque rimos uns dos outros ao notar que nos assustamos facilmente com coisas bobas como essa. E por ai vai.


Se você tiver mais interesse sobre o jogo Slender e sobre o mito do homem esguio, acesse os artigos nos blogs Arkade e Real Nerd. Você vai encontrar alguns trailers do jogo e umas fotos muito tenebrosas! Huuu! Spooky!!

P.S.: Eu ainda acho que há muito espaço para se produzir grandes jogos de comédia. Sinto mesmo muita falta dos tempos da Lucas Arts, com jogos como Day of the Tentacle e Full Throttle.

:wq
Luiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário