domingo, 23 de setembro de 2012

Já viu seu filme de Lobisomem hoje?

Eu sempre gostei de literatura e cinema fantástico. Vampiros, zumbis, demônios, fantasmas, toda a sorte de aberrações oriundas das lendas e mitologias de diversas culturas humanas (já falei que os filmes nórdicos estão realmente mandando muito bem ultimamente? Talvez em outro post...). Mas, dentre todas elas, os lobisomens sempre foram algo realmente aterrador e que, creio eu, tem sido um pouco desmerecido pelo cinema principalmente.

Não apenas pelas antológicas cenas de transformação, mas também pelas histórias, dois filmes marcaram a minha vida. O primeiro foi "Um Lobisomem Americano em Londres" (An American Werewolf in London). Filme de 1981, eu lembro de tê-lo assistido ainda criança e de ter adorado! A cena mais famosa talvez seja a da transformação do personagem principal no lobisomem, mas se você também assistiu irá concordar que a cena do ataque na estação de metrô de Londres é fenomenal! Uma verdadeira aula de como criar suspense com pouca coisa. Juro que quando cheguei em Londres pra estudar inglês em 2000, uma das primeiras coisas que fui fazer (além de visitar Baker Street, claro) foi ir até essa estação e sentir um pouco desse terror. :)


Recentemente (2009), uma refilmagem de um clássico chamado "O Lobisomem" (The Wolfman) me garantiu muito divertimento. Mas muito mesmo. O filme é fiel à ideia de ser um clássico: ambientação gótica do século 19, cenas rápidas e escuras. Uma das cenas mais brilhantes na minha opinião é aquela em que um homem sendo caçado pelo lobisomem prepara sua arma e aguarda ansioso no meio da floresta escura. Assustado com algo, ele atira, e na luminosidade rápida e fugaz que o tiro produz o expectador é capaz de ver o lobisomem ali, colocado ao lado do pobre infeliz, para então escutar seus gritos na escuridão da cena. E-S-P-E-T-A-C-U-L-A-R.




Em se tratando das transformações (ok, ok, não aguentei muito ficar sem escrever a esse respeito), ambos os filmes mandam muito bem. Mas de fato, "Um Lobisomem Americano..." tem um mérito de ter conseguido um resultado fenomenal quase 30 anos antes, sem toda a tecnologia baseada em computação que temos hoje. Comparando, eu prefiro a transformação desse primeiro filme do que do segundo (que é muito bacana também, vai). Lembro-me de ter assistido a uma entrevista com Rick Baker (artista que junto com Tom Savini fizeram os efeitos especiais mais f.das de todos os tempos! p.s. ou ao menos dos anos 80) dizendo que usou borracha pra esticar a mão do ator e filmou os fios de crina de cavalo sendo puxados através de borracha pra depois reverter a filmagem e fazer parecer que o pelo crescia no corpo do lobisomem... muito massa!

Em 1981 era assim...


... em 2009 ficou assim.

Outro detalhe que acho que vale comentar antes de encerrar esse post, é que ambos os filmes têm como ambientação a cidade de Londres. Perfeita escolha, afinal Londres é uma cidade enorme, cosmopolita, mas que tem esse ar de mistério em todos os cantos. Se você também já foi pra lá, sabe bem do que eu estou falando.

:wq
Luiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário