domingo, 28 de abril de 2013

Sabe o que acontece quando você reclama, reclama, reclama e não para pra pensar?




Sabe o que acontece quando você reclama, reclama, reclama e não para pra pensar?

Pois é. Isso acontece muito por ai, principalmente hoje em dia com a Internet e as redes sociais. O ditado diz que "cada cabeça, uma sentença", e isso é legal: quando as pessoas têm opiniões diferentes, os argumentos construtivos geralmente levam a soluções melhores ou mais completas, que talvez atendam a um número maior de pessoas. Mas ficar apenas discutindo não apenas não resolve como atrapalha. E muito.

Um exemplo de discussão inútil são as decisões por email. Eu fico impressionado com amigos que respondem a emails de convite para o cinema, por exemplo (e que as vezes incluem um grupo enorme de pessoas), com a simples frase: "Ah, na terça eu não posso". PORRA, tudo bem que você não pode nesse dia, mas custa já incluir no email uma sugestão dos dias em que você PODE?

Será que um indivíduo assim pensa que incluir suas sugestões de dias/horários disponíveis é impor sua vontade sobre os demais? Eu acho que não. Ao contrário, não fazê-lo é impor sua existência inútil aos demais, já que a única informação relevante na mensagem é que para esse indivíduo a sugestão não é apreciada, mas a solução ao problema não lhe interessa. De todas as formas, apesar de inútil para o grupo, lá está mais um email para atrapalhar a discussão.

Isso acontece na vida de forma geral, mas com a existência de redes sociais como o Facebook está cada vez mais difícil lidar com as toneladas de informação inútil, mas prejudicial, que circula. As vezes me parece que até a imprensa se deixa levar nessa futilidade crescente da comunicação.

No final, esse meu texto também é uma espécie de reclamação, mas diferentemente de muitas por ai eu espero que ele possa ser de alguma forma útil ao nos fazer pensar mais e reclamar menos. Por isso, para encerrar eu apresento o exemplo que me estimulou a escrever esse texto. Semana passada, ao pegar o ônibus para a universidade, eu vi o seguinte cartaz afixado num dos novos pontos de ônibus de vidro (e bastante polêmicos) aqui de São Paulo. O problema é que a prefeitura não colocou indicações nos pontos sobre as linhas que transitam por eles. Uma sugestão de solução (bastante criativa e, se eu não me engano, inspirada em ações similares em Porto Alegre) foi sugerida. E, uma simples reclamação (sem desejar desdenhar do direito de indignação de quem a fez), foi simplesmente mais do que inútil.




(Clique na foto para vê-la ampliada)

:wq
Luiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário